Acerca da Lagoa das Furnas

Se o vulcanismo marcou a terra com paisagens admiráveis, espalhando nascentes de água e caldeiras um pouco por toda a parte, nas gentes deixou o teste da resistência e a coragem para conviver, lado a lado, com o inesperado. E foi desta perfeita simbiose que nasceu a gastronomia confecionada nas entranhas do solo vulcânico, na margem sul da Lagoa das Furnas, pertencente à freguesia com o mesmo nome, situada no concelho da Povoação, da ilha de São Miguel, do arquipélago dos Açores.

 

Da rica e variada ementa de manjares, o Cozido das Furnas é, sem dúvida, o mais afamado de todos os pratos, confecionado com o vapor que sai do interior da terra, proveniente de fenómenos de vulcanismo secundário. O seu singular e inconfundível paladar faz dele um prato mundialmente conhecido, que atrai, todas as semanas, às Furnas, milhares de turistas dos quatros cantos do planeta.

Este recurso endógeno, com qualidades únicas, encontra-se sob a tutela da Câmara Municipal da Povoação que diariamente se empenha, para garantir que, neste local, seja prestado um serviço de qualidade aos seus utilizadores, disponibilizando uma opção para marcação de cozidos com horário de funcionamento das 8 às 20 horas, durante todo o ano. É, igualmente, a equipa dos serviços camarários que fica responsável pela colocação e retirada dos cozidos dos respetivos buracos, cujos ingredientes devem estar acondicionados num recipiente próprio para cozedura que suporte altas temperaturas.

Atualmente existem 56 buracos em atividade ligados à confeção dos tradicionais cozidos, uma parte direcionada para o público e outra para a restauração. O tempo de cozedura altera entre seis a sete horas, com temperaturas a variar entre 64ºc e 96ºc.

Além do cozido, outros pratos são confecionados nestes buracos, designadamente as típicas feijoada e bacalhoada, bem como o famoso arroz-doce.

Para os particulares, os cozidos são colocados nos buracos a partir das 6 da manhã e têm um custo de 3 euros por unidade. A retirada dos cozidos, por parte dos restaurantes locais, é feita a partir das 11 da manhã e prolonga-se até às 13 horas.

Os residentes da Região Autónoma dos Açores têm entada livre para esta zona da lagoa, sendo que aos restantes são cobrados dois euros por pessoa, exceto crianças com menos de 12 anos de idade. Todos têm acesso grátis ao parque de estacionamento.

Refira-se que a limpeza dos espaços públicos, a manutenção dos espaços verdes, a fiscalização e a segurança de toda a zona (24/24 horas) são bandeiras que a autarquia povoacense orgulha-se de hastear, no respeito pela paisagem e na preservação de uma herança gastronómica e cultural, que nos cabe honrar, em memória dos nossos antepassados, que tão habilmente souberam tirar partido do que a natureza lhes ofereceu de mão beijada.

Não há dúvida, que todo este património natural deve continuar a ser conservado, servindo, igualmente, de base a um desenvolvimento económico sustentável, apoiado nestes recursos naturais que nos identifica e nos diferencia de todos os outros municípios do arquipélago açoriano.

A exuberante paisagem envolvente deste amplo espaço convida a momentos de contemplação e relaxamento, mas também ao exercício de várias atividades lúdicas e a convívios em família, para um dia bem passado neste lugar de eleição, não devendo, contudo, para sua própria segurança, ultrapassar as barreiras de proteção identificadas nas respetivas áreas delimitadas.

Visitar a zona dos Cozidos das Furnas e poder saboreá-lo é uma oportunidade única que deverá experienciar e quem sabe repetir numa próxima oportunidade.